Sobre querer

•maio 19, 2011 • 1 Comentário

As vezes fico tão triste. Eu não sou normal. Não tenho uma meta, uma perspectiva como todo mundo. Eu mudo de vontades o tempo todo, to sempre insatisfeita, nunca sei o que eu que agora e o que vou querer daqui a pouco. Mudo tanto de ideia, de opiniao. o tempo todo.

Não sei o que me sacia, o  que me completa, mas sei que nada me basta.

Sou eterna inconstante, sou varias, sou uma tudo e uma nada.

Anúncios

Alçar um voo mais alto.

•maio 17, 2011 • Deixe um comentário

Sonhar, voar, chegar alto, tirar os pés doa chão. É preciso sempre querer chegar mais longe, ir além de onde os olhos podem ver. é preciso coragem pra arriscar, determinação pra continuar e muita força pra nao desistir e driblar as adversidades a cada dia. Cada um de nós tem uma meta, um sonho, que não deve ser abandonado nem deixado pra trás. As vezes colocamos enfase nas coisas erradas na vida e acabamos por desperdiçar energia em coisas que não vão nos trazer nenhum tipo de retorno, materia nem espiritual. O segredo é depositar toda nossa força nos nossos sonhos, e torná-los nossa meta de vida, e correr atras para realiza-los e tornarmos cada dia melhores e mais aptos a realizar o que tanto sonhamos. Só nós podemos nos recompensar. Ninguém merece tanto a sua dedicação, ninguém vai correresponder suas expectativas, só voce pode fazer isso por si proprio. A realização pessoal é a unica que te fará feliz, pois você jamais poderá se decepcionar consigo mesmo, pois vc saberá seu limite, que fez o possível. Fazendo o possivel dificilmente voce irá fracassar, e se isso ameaçar acontecer, busque o impossivel, confie em si mesmo, supere seus limites e realize seus sonhos. Seja pleno, seja você, se baste, sonhe, realize, alcance.

Ana Clara

Confesso..

•maio 3, 2011 • 2 Comentários

Confesso que hoje estou muito incredula com o mundo, de uma maneira geral.

Estou desacreditando nos valores que me fazem ter muita fé nas pessoas, na vida, no futuro, em um mundo melhor. Tem tanta coisa ruim acontecendo, à pessoas boas, à pessos ruins, mas de qualquer maneira, coisas ruins. E eu não consigo desejar mal nem pra alguém que já me machucou muito. E pessoas estão morrendo, pessoas estão traindo, pessoas estão roubando, matando, mentindo. Tem gente fazendo a gente desacreditar no amor. Eu sempre que escuto algum caso do tipo “fulano traiu cicrana” e quando percebo a maneira ordinária que foi, fico descrente do amor. Quandou ouço noticias da morte de alguém na tv, fico incrédula na vida. Eu odeio ver novela da globo por isso, nossa, quanto mal exemplo, quanta barbaridade. Só traição, sujeira, maldade.Há muito tempo nao vejo novela das 20h na globo. Prefiro ver rebelde, ou desenho, ou seriado da disney. E não é bobeira, futilidade,não. É só a tetativa de fugir um pouco dessa realidade que nos engole, que já tá tão crua no nosso dia a dia, e pra precisamos ver mais isso na tv? Eu passei a me fechar no meu mundo durante muito tempo, pois nao quero comparar pessoas, e nem quero generalizar as situações que acontecem do mundo. Aí voce me pergunta se eu acho que alguma dessas coisas uma dia irá me acontecer. Aí eu te respondo, Eu não sei, mas continuo vivendo, e fico triste, mas mas não tenho medo. “há motivos para acreditar, os bons são a maioria.”

Bom meio de semana pra vocês!

Ana Clara

Pra nao abandonar…

•maio 2, 2011 • Deixe um comentário

Sei qeu ando meio sumida do blog, mas ando sem tempo (mesmo!) pra escrever, então vou postar um texto que gosto muito, e espero que vcs gostem também!

Beijos!

Martha Medeiros – Deixe-se em paz

Geralmente é o que se deseja intimamente: paz para o mundo, paz para todos, paz para os torcedores, paz para os moribundos, paz para os iraquianos. É um desejo legítimo, mas qual a nossa contribuição prática para ajudar a construir uma serenidade universal? O máximo que podemos fazer é garantir nossa própria paz. Portanto, esses são os meus votos: deixe-se em paz.

Parece uma frase grosseira, mas é apenas um desejo sincero e generoso. Deixe-se em paz. Não se cobre por não ter realizado tudo o que pretendia, não se culpe por ter falhado em alguns momentos, não se torture por ter sido contraditório, não se puna por não ter sido perfeito. Você fez o melhor que podia.

Aproveite para estabelecer metas mais prosaicas para o futuro que virá, ou até meta nenhuma. Que mania a gente tem de fazer listinha de resoluções, prometer mundos e fundos como se uma simples virada de ano bastasse para nos transformar numa pessoa mais completa e competente. Você será o que sempre foi – e isso já é muito bom, pois presumo que você não seja nenhum contraventor, apenas não consegue dar conta de todos os seus bons propósitos, quem consegue? Às vezes não dá. Vá no seu ritmo, siga sendo quem é, não espere entrar numa cabine e sair de lá vestido de super-homem ou de supermulher. Deixe de fantasias. Deixe-se em paz.

Se quer tomar alguma resolução, resolva ajudar os outros, fazer o bem, dedicar-se à coletividade, seja mais solidário. Não deixe os menos favorecidos na paz do abandono, na paz do esquecimento. Mas esquecer um pouco de você mesmo, pode. Deve. Não se enquadre em comportamentos que não lhe caracterizam, não se enjaule por causa de decisões das quais já se arrependeu, não se arrebente por causa de questionamentos incessantes. Liberte-se desses pensamentos todos, dessa busca sofrida por adequação e ao mesmo tempo por liberdade. Nossa, ser uma pessoa adequada e livre ao mesmo tempo é uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Será mesmo tão necessário pensar nisso agora? Deixe-se em paz.

Não dê tanta importância à melhor roupa para vestir, à melhor frase para o primeiro encontro, às calorias que deve queimar, à melhor resposta para quem lhe ofendeu, às perguntas que precisa fazer para se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Deixe-se em paz.

No fundo, estou escrevendo pra mim mesma. Não me deixo em paz. Estou sempre avaliando se agi certo ou errado, cultivo minhas dúvidas com adubo e custo a me perdoar. Tenho passe livre para o céu e também para o inferno. Preciso me deixar em paz, me largar de mão, me alforriar.

Só falta alguém ensinar como é que se faz isso.

•abril 19, 2011 • Deixe um comentário

Sabe aquelas vezes em que você gostaria de parar o tempo? parar o tempo em um sentimento, em um momento, em um estado emocional. Eu queria poder parar o tempo nesse meu momento. Eu acho que é a primeira vez que tenho uma TPM que não está me deixando louca. Pelo contário. Tô muito relax. É até estranho, eu penso logo que tá se acumulando pro próximo mês, porque eu estar relax não quer dizer que eu deixe a neurose de lado, haha. Mas eu não sei se estou compensando na comida, porque eu tô comendo muito, e sinto um prazer enorme comendo! parece que eu to liberando endorfina com um prato de lasanha, ou um Xbacon. Mas em relação a relacionamentos, por exemplo, eu tô tranquilona! E isso pra mim é estranho demais! Mas eu não tô reclamando, não.

Acho que eu consegui separar os pesos e as medidas, sabe. Acho que de uma vez por todas eu liguei o F***-se e começei a aproveitar, sem me desgastar. Aprendi a manter minha independencia, desobri que tenho grandes amigos, e isso pra mim foi a peça chave. Nunca me senti tão respaldada. Agora eu sei que tenho amigos nos quais eu posso me apoiar, se eu precisar. Posso contar quando tudo der errado, sei que não vou estar sozinha. Eles foram um grande presente de Deus quando tudo parecia estar desmoronando sobre a minha cabeça. Infelizmente, também tive grandes decepções, pessoas que me abandonaram quando eu mais precisei e continuam abandonando. Foi duro ter que tirar delas toda a consideração que eu tinha , mas foi preciso, pois quiseram se tornar totalmente dispensáveis na minha vida. Enfim, eu acho que evoluí para uma próxima fase, estou me amando mais, me bastando mais e sei que nao vou estar sozinha em momento algum, e confesso que durante toda minha vida esse foi meu maior medo, já que sempre fui muito dependente de carinho, de pessoas. Acho também que essa minha busca pelo corpo perfeito, na musculação, teve grande peso nessa minha melhora, pois acabei por me dedicar a mim, ao meu bem estar, à minha auto estima, e isso foi de grande valia.Eu torço muito pra que isso seja uma mudança permanente, e não mais uma pegadinha da minha TPM, mas isso a gente só vai saber mês que vem.

Ana Clara Rocha

Que seja doce…

•abril 13, 2011 • Deixe um comentário

Por que eu me basto e ele me completa. Por isso vai ser doce, vai ter a leveza do vento, vai ser imenso e infinito.

Hoje eu encontrei a felicidade dentro de mim. Ser feliz é poder confiar, poder amar tranquila. É aceitar que ninguém pertence a ninguém, que o que traz a pessoa a você não é a obrigação, não são as convenções, é o sentimento, o penamento, a vontade. Ninguém pertence a ninguém e é por isso que as pessoas são tão interessantes, podemos fazer o que quisermos, ter quisermos e ainda sim escolhemos alguém. Por isso, se você acha que não é capaz de ser feliz sozinha, tire o dia para ver uns filmes, arrumar o quarto, as gavetas, fazer um prato novo, mesmo que não saiba, tente. Vá ao shopping, à academia, veja besteirol na tv. Ligue para um amigo, dance sozinha. Você é dona do seu nariz, e sabe muito bem o que lhe faz bem.

E se bater na cabeça aquelas minhocas qu induzem ao ciúme a à desconfiança…incetissida já! Amar é confiar e relacionamento não é um contrato com multa por recisão. Estar junto é um acordo em comum e ambas as partes sabem do que abrir mão. Ser leve é deixar que seja infinito, é deixar alguém ir sabendo que algo o prende a você: o sentimento, e não a obrigação. Confiar, amar, se bastar. Só assim você vai saber doar amor de forma benigna, leve, doce, que faz bem a você, a ele, a todos ao redor.

 

Em 27/03/11

 

 

 

Ana Clara Rocha

Regrets, regrette, regretter, retourner,arrepender…

•março 17, 2011 • Deixe um comentário

Só queria saber por que sempre que a gente luta muito por alguma coisa, não querems mais quando conseguimos. Eu queria ainda te querer, mas acho que muito de nós se perdeu pelo caminho. Agora eu penso se realmente eu te amei um dia, ou se amava o que você representava pra mim. E agora eu nem sei mais se amei alguém um dia. Eu que sempre reclamei tanto de terem me feito sofrer, acho que no final das contas sofreram por mim.  Sei também que hoje me conheço e desconheço ao mesmo tempo. Não sei o que busco, não sei como me agradar, não sei do que gosto, muito menos do que detesto. O que eu sei mesmo, é gosto do desafio, de fazer a diferença na vida de alguém, claro, sempre com respeito, sem sofrer para isso.

E aprendi que sofrer é opcional pois as coisas só acontecem porque tem que acontecer e cada uma em sua hora. Pessoas vêm, vão, ficam e saem da nossa vida, só por um tempo. Nem quem se vai pra sempre sai totalmente da gente. Elas ficam vivas na nossa memória.  Um dia você aprende a não buscar tanto as coisas, pois se ainda não as tem, é porque talvez não seja a hora, ou não esteja pronto pra tê-las. E quando tiver, cuide para que você saiba, e possa receber da melhor forma possível. A pior coisa que pode acontecer com a gente é se arrepender. Acho que devemos fazer as coisas sempre coma  certeza de não precisar se arrepender lá na frente.  Arcar sempre com as consequencias as nossas decisões de cabeça erguida.

Lembrando também que todo mundo merece uma segunda chance, porém, alguns erros são inesquecíveis, pois perdoáveis são. Até Jesus perdoa, quem somos nós pra julgar alguém? Mas eu sei também que perdoar não é esquecer, e algumas marcas nem o tempo é capaz de apagar. Você precisou me fazer sofrer para descobrir que não pode viver sem mim e precisei sofrer para descobrir que posso viver sem você. “Eu posso, mas não sei se quero.”

Ana Clara Rocha